Páginas

quinta-feira, maio 31, 2012

Deputado atabacado mantém em cárcere uma perereca desguarnecida...




O pano de bandeira de cores vermelha e branca fora incinerado, essa é a gentil descrição dada a minúscula calcinha de tamanho EXGG-Plus, encontrada recentemente no saguão principal do Congresso. Surrada, jogada ao chão, partido ficou não o seu frágil sentimento, mas sim, seu rígido elástico. O envelhecido adorno pubiano fora cremado e será sepultado, até outubro do corrente ano.

Sua dona? Não se pronunciou. Prefere a vergonhosa liberdade, a suja e velha bandeira.

E o povo então ri de tal fato lamentável em inóspito e vergonhoso templo do bicho, de jogo silencioso e sínico, inimputável segue o rodízio de massas. Por favor...! Dá uma fatiazinha pra esse povo que não come há anos... E assim segue a caravana dos 40, ALI não se encontra uma BABÁ. Então! Os bastardos filhos desta mãe gentil seguem no desconforto solitário do contínuo abandono, mas já dizia um velho pastor: “Cachorro magro não sente fome uma vez só não...” E atrás de votos seguem em a um frenesi alimentar os tubarões, no próximo outubro vermelho, não partidário, mas, vergonhoso.


E vamos fazer o que né? Em terra de banguelas, quem tem uma calcinha, não anda em cuecas...

Dedico essa dilacerada “fato-verdade” ao, nem tão mais rejeitado, NULO. Ao qual ando simpatizando ainda mais.

















Findo-Me