Páginas

domingo, dezembro 11, 2011

Uma vela para os mortos-vívidos...



"Ah! Desgovernada rede social!"

Brada de seu adorado trono, o Supremo criador de tão míseros e ignorantes seres, ditos copiados em imagem e semelhança.

Fito em meus vagos e temerosos pensamentos a imaginária visão Deste, na observância ao formigueiro Anti-Humano.

Ah! Arrogantes míseros seres que somos. Ainda perdidos em sombrio imediatismo de insaciada fome Uni-Material, fatalmente atropelando a vital necessidade coletivista.

Teria ele pensado o quão distante ainda estamos de sua verdadeira obra? Dirigimos ao descaso a tão preciosa dádiva, recebida de honrosas mãos beijadas. Tal gratuidade superante a qualquer liberdade criada por ingratos seres.

Vagamos livres por tal arbítrio, irresponsavelmente, perdidamente, absurdamente... Ingratos.

Ah! Maldito trânsito desgovernado!

Ah! Malditos canibais “desgovernantes”!

Ah! Maldita Fome de sobreviver!

Ah! Maldita Guerra de irmãos armados!

Ah! Maldito desmatamento! Porque não cortão o oxigênio de uma vez?

Ah! Maldito vício do erário, sempre insuficiente!

Ah! Tímida humanidade dormente!

Ah! Inexistente Verdade Absoluta!

Há crentes e descrentes...

Ah! Hibernação que não finda!

Despertaremos ainda hoje, ante o último suspiro?

Espero...

Espero!

Espero?

Acordem-nos, por favor!










Findo-me