Páginas

sexta-feira, agosto 19, 2011

Me explica Babel...






A Torre de Babel, segundo a narrativa bíblica no Gênesis, foi uma torre construída por um povo com o objetivo que o cume chegasse ao céu, para chegarem a Deus e estarem mais perto dele. Isto era uma afronta dos homens para Deus, pois eles queriam se igualar a Ele. Deus então parou o projeto e fez com que a torre ruísse, depois castigou os homens de maneira que estes falassem várias línguas para que os homens não se entendessem e não pudessem voltar a construir uma torre com esse propósito. Esta história é usada para explicar a existência de muitas línguas e raças diferentes. A localização da construção teria sido na planície entre os rios Tigre e Eufrates, na Mesopotâmia (atual Iraque), uma região célebre por sua localização estratégica e pela sua fertilidade.








Como é grande a dificuldade de comunicação entre nós seres humanos, ainda que sejamos: da mesma região, religião, grupo social, área de trabalho, sexo, faixa etária, etc... São muitas as nossas diferenças, como também são nossos ideais e pensamentos e como se não nos bastasse tudo isso, ante o grande “BUM” da globalização, temos que nos preparar para entender o dialeto de outros povos, que há anos tentam adotar as línguas inglesa e o espanhol como idiomas mundial, mas até nisso existem discordâncias, seja por questões culturais, ideológicas, preconceitos ou mesmo, preguiça. De uma coisa é certo, muitas pessoas (assim como eu) têm grandes dificuldades de entender até o próprio idioma (com tantas regras e exceções de sua gramática), porque então temos que estudar outro(s)? O mercado de trabalho hoje exige que os profissionais de muitas áreas - assim como os da tecnologia, saibam o inglês (avançado), como isso chega a ser engraçado, a tecnologia avança tão velozmente, e hoje é rápido e fácil traduzir longos textos com o uso de aplicativos (como os browsers) que já fazem isso com bastante eficiência, além de softwares de reconhecimento e comando de voz, tudo isso é fato. Então! Assim como vocês eu pergunto: porque ainda não criaram um dispositivo ou equipamento que auxiliem na “transvocalização” (gostei da palavra neologismo meu, acho!) automática, assim como, já é fato com a transliteração automática de textos?






Certa vez em sala de aula, nossa equipe desenvolveu um trabalho de prototipação (nomeado como “BABEL” e não chegou a ser um projeto pela falta de riqueza de detalhes), que traduzia tudo isso, seria um equipamento que auxiliavam as pessoas com dificuldades em entender outros idiomas, algo parecido como um “headset” (como qualquer outro que já conhecemos no mercado), o diferencial deste equipamento estaria na tecnologia empregada, onde ele através de seu software e hardware permitiria receber um dialeto qualquer por seu microfone (comando de voz), processaria esta informação (pesquisa de idioma recebido e tradução) e passaria esta vocalização no idioma do usuário-receptor através de seu autofalante, tudo isso em tempo real, isso podendo ficar ainda melhor com o mesmo timbre de voz do usuário-emissor (evitando aquela vozinha chata de robô), este equipamento também permitiria que o usuário possa baixar em sua memória interna vários outros idiomas (para uso de seu tradutor), se tornaria uma ferramenta bem útil quando em uso com mais de uma pessoa, poderia ter um longo alcance com uso de um sistema de rádio, possibilitando conversações simultâneas.
Nossa! Encerraria de uma vez essa de ter que estudar outra língua, podendo assim, nos permitir compreender melhor a nossa própria.








E o que falta para isso? 




Deixo aqui a DICA, se já houver alguém a frente de um projeto como esse, peço a licença do uso dessa então não difundida IDEIA.



Eu não procuro saber as respostas, procuro compreender as perguntas.” 



Findo-me