Páginas

terça-feira, agosto 30, 2011

Uma flâmula negra! Para envolver os ossos da nossa própria impunidade...




E então a música foi cantada, despertando os dormentes de seus profundos pesadelos. Yo ho ho!!!



Essa legião começa a fazer sentido e abrir o pensamento crítico do homem com rédeas. Sim! Os escravos não vão mais ser acorrentados, amordaçados ou chicoteados. Então o motim se instaurou nesta nau-terra, como gado que saboreia a doce liberdade e não quer mais cativeiro, disparando no denso cerrado da caatinga. Fugindo... Fugindo... Não de medo, mas de alívio da mordaça espinhosa, farpada pela ditadura silenciosa.



E esses Cibernéticos Piratas do novo mundo, hoje em seus navios estruturados em pesados e avançados circuitos eletrônicos: memórias, cabos, portas e processadores de alta geração, navegando em um emaranhado oceano de nuvens espacial. Seus canhões não explodem, estalam como cliques frenéticos, dedilhados por seus próprios capitães, a velocidade de suas naus são medidas em terahertz, com uma tripulação de um homem só, personificado em meio a músculos encefálicos e um ar assertivo, nas mãos, nada de espadas ou pistolas, apenas uma caneca de café ou energético, aquele que dá asas, aos pensamentos... Aos neurônios conectados em uma rede pulsante veloz e caótica. Piratas? Pode até ser, mas, antes disso nos denominamos Nerds.



Entende-se que não se busca riqueza ou poder, talvez até salvar belas donzelas, altruístas, ante o imediatismo putrefato dos homens com fome “propinatária”.

Abertos para o diálogo? Não!!! Fechados para a injustiça, corrupção e impunidade...





Há uma legião, estamos em toda parte, somos qualquer um, onde o novo e o mais antigo compartilham os mesmos pensamentos, o tempo é indiferente. Classe social? Que diferença faz??? O idealismo está acima das diferenciações. Hoje somos muitos, daqui a instantes seremos milhões. Ameaças? Jamais seremos... Apenas, acordamos.

Mascarados, Avatares, @Anonymous ou não, Hackers, Crackers, Anarquistas, pensadores politizados ou simpatizantes.



Olhem o horizonte e verão em cada navio uma bandeira negra com uma caveira hasteada e aquela canção que nunca vai parar, até que o último canhão juramentado estiver de pé.

Faça a sua própria...


Já Basta de Corruptos e Corruptores!

Findo-me

quinta-feira, agosto 25, 2011

Pior cego é o de espírito, pois, não enxerga nem a si mesmo, pra isso, levo comigo os olhos humildes da alma.




Eis mais um trabalho de prototipação realizado com nossa equipe de criadores, apelidado de: “Olho de Thundera”, uma alusão ao desenho dos Thundercats, onde uma espada daria ao seu usuário a visão além do alcance...



No trabalho apresentado, procuramos atender a usuários especiais que apresentam a falta de visão, neste, existe a necessidade de uma pequena intervenção cirúrgica, fazendo uso da nanotecnologia. Seria algo como um implante robótico (nano chip) em uma, ou em ambas, órbitas oculares, onde o mesmo estaria conectado aos nervos óticos, o implante funcionaria como receptor e emissor, receberia sinais de vindos outro equipamento (que irei falar aqui também) e os enviaria como pulsos nervosos (sinais que só o nosso cérebro entende) ao cérebro, fazendo com que, ao receber tais pulsos, os decodificassem gerando uma imagem.



Parece ficção científica...? Mas, isso não é nenhuma novidade nos dias atuais, os implantes já fazem parte da vida de muitas pessoas, existem implantes robóticos que atendem necessidades específicas, ajudando no funcionamento de outros órgãos do corpo humano, como: ouvidos com os implantes auditivos, e temos também, o mais conhecido e antigo de todos, o “Marca-passo cardíaco”.

A proposta para nosso produto seria de atender uma fatia considerada da sociedade com necessidades especiais, uma das grandes necessidades que o ser humano tem em se socializar com o mundo, a visão.



Este implante seria uma parte do produto, pois ele trabalharia em conjunto com um equipamento que seria o substituto do tão antigo e marcante símbolo desta necessidade especial, a bengala de cego, ele teria "mais-ou-menos", a forma de um controle remoto pequeno, a funcionalidade deste aparelho seria a de emitir e receber sinais, ou seja: ele faria uso da técnica mais conhecida da natureza, vinda de um animal, ao qual, não precisa de nenhuma luz para se guiar no espaço. Sim!!! Usaria o sonar como o dos morcegos. Este aparelhinho emitiria um sonar e o receberia de volta, tratando esses sons e os enviando através de outro canal com um sinal específico para o implante dos olhos, que por sua vez, trataria de enviar como impulsos nervosos ao cérebro, onde o mesmo montaria a imagem como fora vista pelo sonar. Simples assim! Rsrsrs...

Imagem fictícia de implante 1

Imagem fictícia de implante 2

Imagem fictícia de um exemplo de um sonar manual 1

Imagem fictícia de um exemplo de um sonar manual 2

Imagem fictícia de um exemplo de um sonar manual 3


Imagino um mundo com pessoas com dons especiais, vendo-o com uma ótica diferente, porém, com as mesmas riquezas de detalhes que qualquer outro ser vivente teria (ou ainda mais).

Findo-me!

quarta-feira, agosto 24, 2011

Pelo veto ao projeto de cibercrimes - Em defesa da liberdade e do progresso do conhecimento na Internet Brasileira Petition




Pelo veto ao projeto de cibercrimes - Em defesa da liberdade e do progresso do conhecimento na Internet Brasileira Petition

Click neste link acima para assinar também...

"Quem vive na moita, adora ver os outros pelados..." [Chacal o Trilheiro]

sexta-feira, agosto 19, 2011

Me explica Babel...






A Torre de Babel, segundo a narrativa bíblica no Gênesis, foi uma torre construída por um povo com o objetivo que o cume chegasse ao céu, para chegarem a Deus e estarem mais perto dele. Isto era uma afronta dos homens para Deus, pois eles queriam se igualar a Ele. Deus então parou o projeto e fez com que a torre ruísse, depois castigou os homens de maneira que estes falassem várias línguas para que os homens não se entendessem e não pudessem voltar a construir uma torre com esse propósito. Esta história é usada para explicar a existência de muitas línguas e raças diferentes. A localização da construção teria sido na planície entre os rios Tigre e Eufrates, na Mesopotâmia (atual Iraque), uma região célebre por sua localização estratégica e pela sua fertilidade.








Como é grande a dificuldade de comunicação entre nós seres humanos, ainda que sejamos: da mesma região, religião, grupo social, área de trabalho, sexo, faixa etária, etc... São muitas as nossas diferenças, como também são nossos ideais e pensamentos e como se não nos bastasse tudo isso, ante o grande “BUM” da globalização, temos que nos preparar para entender o dialeto de outros povos, que há anos tentam adotar as línguas inglesa e o espanhol como idiomas mundial, mas até nisso existem discordâncias, seja por questões culturais, ideológicas, preconceitos ou mesmo, preguiça. De uma coisa é certo, muitas pessoas (assim como eu) têm grandes dificuldades de entender até o próprio idioma (com tantas regras e exceções de sua gramática), porque então temos que estudar outro(s)? O mercado de trabalho hoje exige que os profissionais de muitas áreas - assim como os da tecnologia, saibam o inglês (avançado), como isso chega a ser engraçado, a tecnologia avança tão velozmente, e hoje é rápido e fácil traduzir longos textos com o uso de aplicativos (como os browsers) que já fazem isso com bastante eficiência, além de softwares de reconhecimento e comando de voz, tudo isso é fato. Então! Assim como vocês eu pergunto: porque ainda não criaram um dispositivo ou equipamento que auxiliem na “transvocalização” (gostei da palavra neologismo meu, acho!) automática, assim como, já é fato com a transliteração automática de textos?






Certa vez em sala de aula, nossa equipe desenvolveu um trabalho de prototipação (nomeado como “BABEL” e não chegou a ser um projeto pela falta de riqueza de detalhes), que traduzia tudo isso, seria um equipamento que auxiliavam as pessoas com dificuldades em entender outros idiomas, algo parecido como um “headset” (como qualquer outro que já conhecemos no mercado), o diferencial deste equipamento estaria na tecnologia empregada, onde ele através de seu software e hardware permitiria receber um dialeto qualquer por seu microfone (comando de voz), processaria esta informação (pesquisa de idioma recebido e tradução) e passaria esta vocalização no idioma do usuário-receptor através de seu autofalante, tudo isso em tempo real, isso podendo ficar ainda melhor com o mesmo timbre de voz do usuário-emissor (evitando aquela vozinha chata de robô), este equipamento também permitiria que o usuário possa baixar em sua memória interna vários outros idiomas (para uso de seu tradutor), se tornaria uma ferramenta bem útil quando em uso com mais de uma pessoa, poderia ter um longo alcance com uso de um sistema de rádio, possibilitando conversações simultâneas.
Nossa! Encerraria de uma vez essa de ter que estudar outra língua, podendo assim, nos permitir compreender melhor a nossa própria.








E o que falta para isso? 




Deixo aqui a DICA, se já houver alguém a frente de um projeto como esse, peço a licença do uso dessa então não difundida IDEIA.



Eu não procuro saber as respostas, procuro compreender as perguntas.” 



Findo-me

terça-feira, agosto 16, 2011

Confesso! Sou um cinéfilo...




Tantos foram os filmes que fizeram uma nova versão utilizando a mais recente tecnologia para sua criação, que está se tornando febre, muitos ficaram bons... Claro! não desmerecendo a primeira versão, pois naquela época era o que havia de mais moderno em tecnologia...



Vejam esses exemplos:



  • Conan o Bárbaro




  • Tron





  • Fúria de Titãs





  • King Kong







Então! Que acharam?



Nem todos os filmes seguiram essa linha... Palmas para o filme mais reverenciado, que nunca fora criada uma versão atualizada de qualquer de seus episódios, pois, sua versão antiga já era tão moderna que os produtores preferiram dar continuidade montando então a saga do filme de ficção científica mais assistido, tornando-se o filme dos filmes para os GEEKS...


STAR WARS



sábado, agosto 13, 2011

Sinceramente, invejo os loucos, pois eles são mais felizes.




Se você busca a verdadeira salvação, o perdão, o reconhecimento como pessoa, a verdade do mundo e a sinceridade dos pares, faça de uma vez e sem pensar, largue todos os seus bens materiais, e viva como um mendigo, apenas com o estritamente necessário, e para concretizar isso sigamos o nosso lado “normal de ser” e façamos a maior fogueira que já havíamos visto e crememos de uma vez e para todo sempre, a droga que mais corrompe, fere, mata, gera cobiça, inveja, desordem, insegurança, avareza e dependência que já presenciamos.



Sim! Estou falando dele mesmo, o nosso maior adversário, aquele que nos muda interna e externamente... A criação do homem (a nossa criação), o “bom” e rico dinheirinho...

Se você não tem coragem para isso e ainda esta pensando em me chamar de louco, é porque seu caso já é crônico.







Você sabe para que tantos homens (sentido genérico, mas quero dizer homens e mulheres) querem dinheiro e bens materiais? Tudo para justificar sua necessidade de poder, ou seja, para subjugar seu próximo, quando digo próximo, estou falando dos amigos, parentes e inimigos (Claro!)... Para que um carro importando ou uma bela casa se não temos para com quem compartilhar? (compartilhar? Não!!! Mostrar para os outros que podemos ter...)... É o Poder que nos corrompe, o dinheiro não passa de apenas um pedaço de papel, tão frágil que se pode dobrar, rasgar, queimar, pintar e molhar, pois, o que na verdade é o dinheiro, se não, uma promessa de dívida.

Nos primórdios os povos pagavam mercadorias/serviços por mercadorias/serviços, não existia o tão então venerado dinheiro de hoje. O monetário papel não serviria de nada, apenas para limpar a bunda, pois, a função do papel sem importância na falta do macio higiênico é este. Era feito assim: ao invés de se trocar as mercadorias, umas pelas outras, as pessoas trocavam suas mercadorias por essa “promessa de dívida” ou (moeda de troca), que por sua vez, serviria para ser trocada por outras mercadorias... (Blá! Blá! Blá!). A tal moeda de troca só poderia existir, se por traz da mesma existisse alguma reserva preciosa (metais nobres, grãos, especiarias, tecidos ou couro de animais), sem esse controle qualquer um poderia criar suas reservas de dinheiro sem nada por garantir a sua troca, seria um pandemônio, muito dinheiro sem nada por garanti-lo... Hoje o chamaríamos de papel sem valor.







Então, se loucos não dão valor, é porque não são loucos de verdade, apenas se desprenderam do materialismo que nos enraízam a alma...

Você pode não saber, mas você tem preço e pode até ter vendido sua alma... O Homem paga pra nascer, pra viver (a maioria para sobreviver) e paga-se para morrer, depois de morto ainda existe dívidas (seu túmulo)...

Portanto, Enterre seu dinheiro e viva!

Findo-me

sábado, agosto 06, 2011

1945 - O Cogumelo e as vidas que finda.


Escute...
Sinta...
Veja...
Chore se não evitar...
Mas, nunca se curve e ignore...




Flores para um defunto
... 66 ...
Lágrimas derramadas ano após ano



É muito difícil apontar um criminoso, ainda mais se ele é um poderoso... Sabemos seu nome "Little Boy", assassino em massa.



Travestido de ovelha este lobo (mau) vem aos poucos, brandamente, levemente, muito pouco mesmo, livrando suas dívidas com a humanidade com um sorriso amarelo, inversamente a sua financeira dúvida. Calote??? Não!!! Se sou eu o dono do mundo, a quem eu devo? Se não, a mim mesmo. Então, dívida paga.

Se um tirano apropriar de uma frase, esta seria: “Se não é por mim, já se foi... E quem seria contra mim? ”

Hoje, nem todos os seus “temerantes” súditos devedores, curvam-se a sua empáfia presença, vejo em meio a multidão bandeiras revoltosas arqueadas, cansadas de serem humilhadas. Os escravos, agora plurirraciais, erguem-se contra essa máquina capitalista destruidora.

Assim como o NaziPorco pagou por suas atrocidades, espero um dia que a Rosa de Hiroshima tenha seu vingador vitorioso e seu algoz sofrendo pelo mal que fez...

Uma lembrança duradoura de quem sofre até hoje...











Triste e em silêncio... Findo-me!