Páginas

terça-feira, junho 07, 2011

Vixe Matutada!!! Já é Junho... Vamu arrastá as chinelas???



Quando chega o mês de junho já falamos logo: “Oxente! Cabou-se o ano!”, daí entramos em clima de Festa Junina. O nosso instinto Nordestino nos faz "sabedores" disso, mesmo que passemos por desapercebido, os nossos sentidos são sempre lembrados em cada esquina com as: Fogueiras, Barracas de fogos de artifício, chapéu de palha, roupas quadriculadas, Banda de Pífano, Forró Pé-de-Serra, aquele cheirinho delicioso de milho verde assado ou cozido, pamonha, canjica, mungunzá, ..., e tantas outras simbologias desse, que é mais conhecido como os Festejos do Nordeste Brasileiro.

Oxe!  Daí me vem as lembranças das brincadeiras de quando era menino: corrida de saco, pula fogueira, as quadrilhas juninas. E as presepadas? Soltar rojão pra assustar o povo, assar o milho na fogueira quentinha, ver as apresentação das quadrilhas.

Ô lembrança boa!!!



Eh! Clima de festa gostoso! Todo mundo em volta da fogueira, assando seu milho e contando causos... hahahaha... E ara cada causo de rir...!

Fogueira Junina

Comidas típicas




Bacamarteiros



Banda de Pífano

 
É um período que marca nossos sentidos com visual colorido, cheiro gostoso de pólvora, comidas típicas e sabores que só se vê nessa época, os sons dos bacamarteiros, banda de pífano e fogos de artifícios, é um cenário inesquecível...


















Mesmo politicamente errados, ainda víamos os balões subindo ao céu e nos emocionávamos (irresponsavelmente lindo)...







São João, ô festa gostosa...
É uma época mágica, só sabe, quem vivencia...
No Nordeste então!
Oxe!
É maravilhoso... Principalmente quando se vai ao interior do estado, é tradicional...



 

Daí nos vem as músicas que tanto embalam os palhoções... Forró!? Vixe!!! Todo ele é bom!!! Mas, o melhor é o tradicional, o forró “Pé-de-Serra”, tem pareia não visse!?
É só agente ouvir que começa o arrastar das chinelas e o povo a se balançar no salão...




Heim! Quem nunca ouviu na voz de Luiz Gonzaga?
...
Sanfoneiro?
Toque o xote!
Toque o xote!
Que eu quero xote!!!”
...





A festa junina se inicia no dia 12 de Junho (onde também é comemorado o Dia dos Namorados), véspera do Dia de Santo Antônio (conhecido como o Santo Casamenteiro) e encerra no dia 29, dia de São Pedro, tem seu ponto mais elevado entre os dias 23 e 24, que é o Dia de São João.





Mas...
De onde veio a festa junina? Qual Sua origem?

“A tradição de comemorar o dia de São João veio de Portugal, onde as festas são conhecidas pelo nome de Santos Populares e correspondem a diversos feriados municipais: Santo Antônio, em Lisboa; São Pedro, no Seixal; São João, no Porto, em Braga e em Almada.

O nome “junina” é devido à sua procedência de países europeus cristianizados. Os portugueses foram os responsáveis por trazê-la ao Brasil, e logo foi inserida aos costumes das populações indígenas e afro-brasileiras.
A festa de São João brasileira é típica da Região Nordeste.”
[Equipe Brasil Escola, Patrícia Lopes]

“As festas de São João são ainda comemoradas em alguns países europeus católicos, protestantes e ortodoxos. Em algumas festas européias de São João são realizadas a fogueira de São João e a celebração de casamentos reais ou encenados, semelhantes ao casamento fictício que é um costume no baile da quadrilha nordestina.”
[Equipe Brasil Escola, Patrícia Lopes]




 “Na época da colonização do Brasil, após o ano de 1500, os portugueses introduziram em nosso país muitas características da cultura européia, como as festas juninas.
Mas o surgimento dessas festas foi no período pré-gregoriano, como uma festa pagã em comemoração à grande fertilidade da terra, às boas colheitas, na época em que denominaram de solstício de verão. Essas comemorações também aconteciam no dia 24 de junho, para nós, dia de São João.

Essas festas eram conhecidas como Joaninas e receberam esse nome para homenagear João Batista, primo de Jesus, que, segundo as escrituras bíblicas, gostava de batizar as pessoas, purificando-as para a vinda de Jesus.

Assim, passou a ser uma comemoração da igreja católica, onde homenageiam três santos: no dia 13 a festa é para Santo Antônio; no dia 24, para São João; e no dia 29, para São Pedro.

Os negros e os índios que viviam no Brasil não tiveram dificuldade em se adaptar às festas juninas, pois são muito parecidas com as de suas culturas.”
[Equipe Brasil Escola, Jussara de Barros]


 




Findo-me