Páginas

sábado, junho 25, 2011

Entre: Hacker, Cracker ou Bode expiatório, Quem vai pagar o Pato?



Só para esclarecer:
Originalmente, e para certos programadores, hackers (singular: hacker) são indivíduos que elaboram e modificam software e hardware de computadores, seja desenvolvendo funcionalidades novas, seja adaptando as antigas.

Originário do inglês, o termo hacker é utilizado no português. Os hackers utilizam todo o seu conhecimento para melhorar softwares de forma legal. Eles geralmente são de classe média ou alta, com idade de 12 a 28 anos. Além de a maioria dos hackers serem usuários avançados de Software Livre como os BSD Unix (Berkeley Software Distribution) e o GNU/Linux. A verdadeira expressão para invasores de computadores é denominada Cracker e o termo designa programadores maliciosos e ciberpiratas que agem com o intuito de violar ilegal ou imoralmente sistemas cibernéticos.[Fonte: Wikipedia]

Então, a partir de agora vamos falar o certo né!? Os Hackers violaram a segurança dos sistemas para mostrar sua vulnerabilidade e os Crackers roubaram informações sigilosas e repassaram para uso de siberfraudes...

Hackers <<< Amigoooo                           Crackers <<< Criminosos



É importante salientar o vetor problemático da segurança da informação em ambientes corporativos (públicos ou privados)... Em quanto pensarmos de forma simplória quanto aos recursos tecnológicos empregados, estaremos sempre a uns passos atrás dos “SiberNinjas”... Para me fazer entender melhor, empresas investem pouco ou de forma errada em tecnologia, muitas acreditam que basta apenas uma rede, boas máquinas, um sistema operacional excelente e um eficaz programa de proteção que tudo está resolvido... Em parte, sim!... Mas, existe um elemento que é o mais importante dessa cadeia tecnológica, o que pode por tudo isso a perder... Nós (seres humanos).



Incrível, mas, é possível afirmar que mais de 70% das falhas de proteção se deve a erros por falta de informação ou má intenção dos usuários diretos (colaboradores que fazem uso dos sistemas da empresa), falhas como: acesso a sites indevidos, mídias externas não autorizadas (como: CD/DVD, Pendrive, HD externo, ...), e-mail infectado e tantos outros, que se formos pôr em prática um ação de bloqueio, teríamos um computador com apenas entradas para teclado, mouse e monitor, sem acesso a internet ou rede, ou seja, voltarmos a era da escuridão tecnológica, onde os computadores eram apenas ilhas de edição de textos e imagens, sem comunicação... Terminais além de burros... rsrsrs


Não é a cura, mas, sempre que possível é importante monitorar os recursos tecnológicos (hardware e software), os processos e os colaboradores, para que seja visto a necessidade de mudanças, treinamentos ou reciclagem, isso não irá solucionar todos os problemas, mas evita o erro pela falta de recursos ou informação... Quanto a má intenção, isso é mais difícil de se resolver... Nós, seres humanos somo imprevisíveis, a conduta do certo ou errado vai de pessoa para pessoa, não somos máquinas limitadas criadas pelo homem...



A problemática vivenciada nos últimos dias pelos “Ponto-ORG Ponto-BR” tem vários fatores relacionados, mas podemos simplificar com: fatores internos e fatores externos, ou, mais resumidamente como: “Vulnerabilidade”, termo muito usado pelo setor de Segurança da Informação... Como solucionar... Cada caso uma vacina específica, não existe um modelo único... Mas, acredito que o mais importante é focar nas pessoas, pois, hardware, software, processos são estáticos, não agem por conta própria, precisam da interferência humana para sair de seu estado. Já o ser humano, Esse sim é dinâmico e instável, seu estado é randômico...